22 de fevereiro de 2014

Resumo da Vida de Santa Rita de Cássia

Ela nasceu, na Itália, a 22 de maio de 1381, na região da Úmbria, num  lugarejo chamado, naquele tempo, Roca Porena. Seus pais, Antônio e Amada Mancini, já idosos, rogavam a Deus a vinda de um filho. Nasceu-lhes a pequena Margherita, daí sua abreviatura: Rita.
          Educada, com muito esmêro cristão, Rita passou sua infância e sua juventude, auxiliando seus pais na lavoura. Recém-nascida e sempre colocada num cesto, que fazia às vezes de berço,  no próprio campo, certa vez foi encontrada envolta de abelhas brancas que lhe pousavam na face, sem ferí-la. Quando jovem casou-se com Paulo Fernando. Tiveram dois filhos:  João Tiago e Paulo Maria. O marido,  de gênio forte e colérico, maltratou-a muitas vezes. Rita, graças à bondade de coração e às suas preces, conseguiu convertê-lo para Deus. Ele morreu assassinado, vítima de lutas políticas de época. Os filhos, jovens, quiseram vingar a morte do pai. Rita, preferindo vê-los mortos que transgredindo a lei divina, pediu a Deus que os levasse para o céu  antes de se mancharem com aquele crime. Morreram ambos, dizimados por uma peste que arrasou a Europa naquela  época.
          Viúva e sem filhos,  Rita  dedicou-se ao socorro dos pobres e enfermos, ajudando a uns  e outros, com alimento, visita, conforto e trabalho. Sentindo o chamado de Deus, procurou o Convento das Irmãs Agostinianas de Santa Maria Madalena, em Cássia, para tornar-se religiosa. As regras daquele tempo impediam o ingresso de viúvas. Certa vez, madrugada ainda, Rita foi encontrada pelas freiras, rezando na capela do Mosteiro, com portas e janelas fechadas. A Madre Superiora viu naquele fato um desígnio  do céu e admitiu-a como Irmã. Para provar sua vontade, mandou que regasse diariamente, um ramo seco de videira.  Com o tempo, o ramo verdejou e floresceu numa viçosa videira.
          Um dia, rezando perante o crucifixo, pediu a Cristo a graça de sofrer com Ele. Um espinho desprendeu-se da imagem e fincou-se-lhe na fronte, abrindo uma chaga dolorosa e purulenta, que durante mais de quinze anos a fez sofrer muito. Em 1450 ano santo, desejando ir a Roma, com suas companheiras de hábito e não o podendo por causa da chaga na fronte, Rita a Deus pediu esta graça e a chaga fechou-se, tornando-se a abrir quando de volta ao Convento. Muito jejum, muita penitência, muita oração eram sua maneira de viver. Gravemente enferma, vivendo num pobre catre, no fundo de uma humilde cela, Rita recebeu a visita de sua prima. Pediu a esta que fosse até Roca Porena e lá em sua antiga casa, colhesse para ela um figo e um botão  de rosa. Era pleno inverno, tudo sepultado sobre a mais densa neve, e no entanto a prima encontrou  o figo e rosa no jardim de Rita.

          No dia 22  de maio de 1457, Rita  entregou sua bela alma a Deus. No campanário do Convento,  os sinos começaram a repicar festivamente, tangidos por mãos misteriosas.  A chaga da fronte fechou-se na mesma hora e no lugar do habitual mal cheiro que dela se exalava, passou a exalar um discreto perfume.  Tantos foram os milagres e as graças que milhares de devotos seus receberam de Deus, por intercessão sua, que ficou conhecida como a “Santa dos Impossíveis”. O Papa Leão XIII, canonizou-a no dia de Pentecostes, 24 de maio de 1900, Ano Santo.

Paróquia Santa Rita de Cássia



Oração de Santa Rita de Cássia

(Santa Rita é invocada em especial para causas impossíveis)







Ó Poderosa e gloriosa Santa Rita,

eis a vossos pés uma alma desamparada que necessitando de auxílio,
a vós recorre com a doce esperança de ser atendida por vós
que tem o título de Santa dos casos impossíveis e desesperados
Ó cara Santa interessai-vos pela minha causa,
intercedei junto a Deus para que me conceda
a graça que tanto necessito (faça o pedido)
Não permitais que tenha de me afastar de vossos pés sem ser atendido.
Se houver em mim algum obstáculo que me impessa
de alcançar a graça que imploro, auxiliai-me para que o afaste
Envlovei o meu pedido em vossos preciosos méritos
e apresentai-o a vosso celeste esposo, Jesus, em união com a vossa prece.
Ó Santa Rita, eu ponho em vóstoda a minha cionfiança
Por vosso intermédio, espero tranquilamente a graça que vos peço
Santa Rita, advogada dos impossíveis, rogai por nós.

Trabalho e partilha realizado por
8º volume de catequese
Jardim de Cima e S. Pedro

8 de fevereiro de 2014

Obrigada Senhor!

Por esta semana, aprendi muitas coisas:
  • a perdoar
  • a tentar resistir às tentações
  • a amar
Espero continuar a seguir-te e a aprender contigo Jesus!

Sara S

1 de fevereiro de 2014

Madre Luiza Andaluz; Papa Francisco


A Nossa Visita á Fundação
Madre Luiza Andaluz


Num domingo de Inverno com o Sol a brilhar, fomos visitar a Fundação Luiza Andaluz em Santarém.
Fomos muito bem recebidos pela Irmã Rita, que nos falou da Madre Luiza Andaluz, da sua obra e nos levou a ver vários locais da casa.
Depois trabalhamos um pouco, comemos umas guloseimas. Como estavam algumas meninas na casa, entregamos a Irmã Rita algumas gomas para lhes dar.
Foi uma visita muito participada e num instante passou a tarde!.... 


Aqui ficam as impressões desta visita:

Esta casa que visitamos é um lar de meninas.
Nesta casa eu vi: os quartos, refeitórios, casas de basnho, uma capela e uma Igreja…
Esta casa foi fundada por Luiza Andaluz com o objetivo de ajudar as pessoas pobres. (Mafalda Rosa)

Gostei de falar com a irmã Rita.
Gostei de ir á capela.
Gostei de ver a Igreja com os 2Picos” na grade do coro. Estou a gostar!... (Tiago)

Gostei, da sala onde as freiras viam a missa.
Os quartos das meninas e a “roda”. E da História da Madre Luiza Andaluz. (Rosarinho)

Quem nos mostrou a casa foi a irmã Rita.
Gostei da ideia de construírem uma Grade para as “irmãs Capuchinhas” assistirem á missa. A casa era engraçada. (Inês)

Gostei muito de ver os quartos das meninas. Também gostei de ver a “roda” por onde as “Irmãs capuchinhas” falavam com o exterior. (Mª Inês)

Gostei de ver a “roda” a rodar; o coro e a biblioteca. Estivemos a rezar. (Tomás Freire)

Gostei de conhecer melhor Luiza Andaluz. Adorei ver as capelas e também gostei da “roda”. (Madalena)

Gostei de ver a capela e observar como se enviavam cartas antigamente. Reviver os tempos antigos e de ver os quartos das pessoas que frequentam esta casa. Também gostei de ouvir a história da Madre Luisa Andaluz. (Guilherme)

Gostei de ver os qurtos das meninas. Gostei de saber mais sobre a Madre Luiza Andaluz. Gostei muito da visita (Leonor)

Gostei da salinha da missa, gostei dos quartos com quatro camas e gostei de ver as meninas! (Maria)

Gostei dos quartos com 4 camas; 4 armários e 4 cadeiras. Gostei da capelinha no sítio do coro e de ver as meninas. (Rita)

Esta casa foi onde Luiza Andaluz vivia. Gostei de ver a Capela onde as irmãs rezam, e gostei muito de ver os picos na grade do coro. (Raquel)

Eu gostei de ver a sala onde Jesus está. Gostei de saber o Que Madre Andaluz fez para ajudar as meninas que mais necessitam e gostei da “roda” onde se mandavam recados, cartas, etc… (Mafalda Caldeira)


Os LINDOS

 

O Trabalho


Depois de lida a História da Madre Luiza Andaluz, falamos um pouco sobre a sua vida e escrevemos o que mais nos admirou e o que ficou no nosso coração.

Luísa fazia os possíveis para ajudar os outros, faze-los acreditar em Jesus, Deus e Maria (Rosário).
Luísa Andaluz gostava muito de ajudar os pobres e os doentes e ainda amava Jesus. (Francisco Dinis)
Luísa queria ir para o convento, para estar mais perto de Jesus. Queria construir uma escola para que os pobres pudessem ir á escola (Tomás Freire)
Luísa era muito bondosa, generosa e carinhosa. Gostava muito de ajudar os pobres (Raquel)
Luísa no Natal queria tecido para ajudar os pobres e criou escolas. Era boa pessoa. (Tiago)
Luísa Andaluz gostava de ajudar os pobres. (JPedro Gomes)
Luísa Andaluz desde cedo queria sempre ajudar os mais pobres, mandando construir escolas e lares onde os mais necessitados poderiam aprender. (Guilherme)
Luísa seguia Jesus, por isso ajudava os pobres e os doentes. (Bernardo)
Luísa gostava muito de Jesus. No Natal só pedia tecidos para fazer camisolas para os pobres. (Francisco)
Luísa gostava de ajudar as outras pessoas que eram pobres ou não se sentiam tão felizes como ela. (Mafalda Rosa)
Luísa Andaluz era uma menina que desde pequena gostava de ajudar os outros (pobres). Ao longo dos anos, Luísa ajudava cada vez mais os pobres e preocupava-se muito como seu bem-estar. Era uma pessoa que tinha uma fé enorme em Jesus. (Sandra)
Luísa gostava de ajudar pessoas tristes e de ensinar as crianças pobres a ler e a escrever. (Raquel Gomes)
Luísa Andaluz ajudava muito os pobres. Era uma pessoa muito simpática. Ela preocupava-se com toda a gente e nunca deixou isso para trás. Mesmo quando já estava velhinha, arranjou um grupo de amigas para fazer o trabalho dela. (Inês Bernardino)
Luísa Andaluz gostava muito de ajudar as pessoas que mais precisavam e as que estavam muito doentes. Também gostava de pedir tecidos no Natal para fazer roupas aos pobrezinhos. Gostava de falar com Jesus. (Inês Fragoso)
Luiza gostava de escrever postaizinhos com mensagens muito bonitas, para as suas amigas oferecerem aos doentes e às crianças,


As frases de Madre Luiza Andaluz

Estas frases foram distribuídas á saída da celebração pelos meninos da catequese.

“Nos caminhos da vida, mantenhamos sempre o olhar confiante em Maria, que carinhosamente nos conduz” Luiza Andaluz

“Ao comtemplarmos a natureza o nosso coração estremece de reconhecimento e dilata-se no Amor” Luiza Andaluz

“É feliz quem escolhe para programa de vida ser de Jesus e servir Maria” Luiza Andaluz

“Aproveitemos cuidadosamente o nosso tempo, pois ele foi-nos dado para o fazermos valer por toda a eternidade” Luiza Andaluz

“A confiança em Deus é caminho seguro nas dificuldades da nossa vida” Luiza Andaluz

“A riqueza de Deus é o amor” Luiza Andaluz

“Quem ama sinceramente a Deus sente necessidade contínua de se dedicar por seu Amor” Luiza Andaluz

“O que Deus mais aprecia nas pessoas é a generosidade por seu Amor “Luiza Andaluz

“Quem ama a Deus com ardor, não se pode limitar só a amá-lo mas procura que os outros também o amem e sirvam” Luiza Andaluz

“Se conhecêssemos o Dom de Deus em todo o seu misterioso valor como seríamos gratos a tanto Amor.” Luiza Andaluz

“A criança nos braços de sua mãe nada teme e nós estamos nos braços de Maria.” Luiza Andaluz

"Conservemos a alma em paz, estamos nas mãos de Deus que tudo pode e que nos ama." Luiza Andaluz

“Procuremos acima de tudo servir a Deus com Amor e muita generosidade... Ele conduzirá os nossos passos por via segura.”  Luiza Andaluz

“Jesus é o nosso melhor Amigo, quem corresponde ao Seu Amor e lhe é fiel alcança a felicidade suprema de o gozar no Céu para sempre.” Luiza Andaluz

“Se a Vontade Divina for guia e farol da nossa vida não haverá perigo de errarmos caminho.” Luiza Andaluz

“Vive sempre em paz quem sabe unir generosamente a sua vontade à de Deus.” Luiza Andaluz

“Quando Deus nos dá muito sentimo-nos tão pequenos ao reconhecer que não lhe sabemos dar nada!” Luiza Andaluz

“A humildade é perfumada flor que quanto mais se esconde melhor perfume exala” Luiza Andaluz

“É feliz quem sabe abraçar com Amor as cruzes que o Senhor nos envia. O Amor tudo transforma”  Luiza Andaluz

“Quem ama a Jesus encontra conforto e alegria na dor” Luiza Andaluz

“Deus é bom, Ama-nos, tudo pode e nunca falta a quem nele confia” Luiza Andaluz

“Estejamos atentos á voz do Senhor, quando no silêncio e no recolhimento nos aponta o caminho” Luiza Andaluz

“Ser bom para com todos, sobretudo os mais pequenos e desprezados é o Evangelho vivido” Luiza Andaluz


Também falamos do Papa Francisco e vimos uma pequena animação que nos conta a sua história




  



O Descanso

trabalho  e partilha realizado por:
4º ano de catequese
Jardim de Cima e S. Pedro